Viver em paz é a nossa natureza. Mas, muitas vezes, é difícil conseguir o equilíbrio necessário à qualidade de vida, quando estamos cada vez mais conectados a tudo o que acontece no mundo.

Com a globalização e a internet, mesmo os acontecimentos mais distantes acabam tendo um forte impacto na forma como vemos e vivemos nosso dia a dia.

A natureza, por sua vez, é o elemento capaz de promover a desintoxicação digital que torna a vida mais saudável.

Veja por que ela é tão importante e como se desconectar do mundo virtual para conseguir uma conexão segura e permanente com a sua qualidade de vida.

Excesso de tecnologia intoxica e vicia

Praticamente metade dos trabalhadores adultos permanece conectada nas horas de lazer. É o que mostra uma pesquisa da Associação Americana de Psicologia. O estudo mostra ainda que a tecnologia promove, hoje, uma hiperconectividade que tende a misturar valores.

Cada vez mais novas ferramentas digitais de trabalho nebulam a fronteira entre a vida doméstica e a profissional. O que por um lado representa uma otimização da força de trabalho e por outro cria situações tóxicas para a qualidade de vida.

Mas como reverter esse processo? Será que é possível criar medidas de proteção para eliminar o vício da conectividade?

Equilíbrio deve ser tendência nos próximos anos

De acordo com o Relatório de Tendências da Ford, sim. A pesquisa global, que foi realizada em 14 países, entre eles o Brasil, mostra que essa transformação é uma preocupação crescente entre os brasileiros.

Segundo o estudo, para 89% de nós é possível treinar o cérebro para pensar diferente e para 91% o progresso ambiental depende de uma mudança no comportamento humano.

O relatório mostrou ainda que cada vez mais pessoas estão não só conscientes, mas alarmadas sobre a própria dependência digital. Além disso, esperam recuperar o controle sobre suas vidas através da desintoxicação digital como o caminho para melhorar a qualidade de vida.

Natureza tem papel fundamental para a qualidade de vida

Assim como em qualquer outro vício, não é fácil deixar de lado toda a conectividade.

No entanto, vários estudos e pesquisas ao redor do mundo mostram como a natureza funciona como um verdadeiro para-brisas mental, um agente purificador do corpo e da alma.

Na Universidade de Utah, por exemplo, um estudo mostrou como apenas três dias de imersão na natureza são capazes de recalibrar os sentidos.

Os efeitos biológicos foram clinicamente confirmados através de aparelho de eletroencefalografia.

De acordo com o experimento, a redução no ritmo de atividades leva a um estado de contemplação que melhora o desempenho mental.

Encontre o equilíbrio fazendo as conexões certas

Mesmo para as novas gerações, que parecem já ter nascido com um tablet nas mãos, é possível aprender a estabelecer conexões com a natureza.

A desintoxicação digital, no entanto, não precisa ser abrupta. A própria qualidade de vida que passa a ser fornecida pela natureza se encarrega de reprogramar o cérebro. Por isso comece devagar.

  • Escreva cartas. Conte como foi sua semana para um amigo que mora distante, redescubra o prazer de escrever à mão livre. Use canetas de cores diferentes para destacar palavras, desenhe, brinque com sua letra. Depois vá caminhando até o correio mais próximo, sele e envie a carta como antigamente. Sem pressa;
  • Desafie-se a ficar duas horas sem fazer nada que envolva a internet. Vá aumentando esse tempo gradativamente, até chegar a um fim de semana inteiro. Você verá que as pessoas se acostumarão com seu novo jeito de ser – e muitas também adotarão esse modo de vida;
  • Permita-se uma maior aproximação com a natureza. Ao procurar um programa para as horas de folga, busque áreas verdes próximas de casa. Deixe o celular em casa e leve um livro ou uma cesta de piquenique para fazer com a família;
  • Para quem é economicamente ativo nos centros urbanos, procure ter uma casa de veraneio em um local completamente diferente, cercado de verde e ar puro. Evite levar computadores e procure manter o smartphone ligado apenas para emergências;
  • Sempre que possível, apenas relaxe próximo a uma área verde. Feche os olhos, sinta o vento batendo no rosto, inspire calmamente e expire de forma profunda e ritmada;
  • Procure morar em um lugar que melhore efetivamente sua qualidade de vida. Onde possa ver o céu largo e muitas estrelas à noite, onde a vizinhança também caminhe sem pressa e com toda segurança pelas ruas do loteamento fechado;
  • Procure viver em um lugar em que a vida passe mais devagar, evite ser muito exigente, apressado e negativo consigo mesmo. Aprecie a vida, a família, a convivência tranquila com os vizinhos;
  • Mesmo na cidade, busque atividades que o mantenham longe de aparelhos digitais por algumas horas, como teatro, cinema ou alguma modalidade esportiva ao ar livre, por exemplo;
  • Pratique atividades ao ar livre com a família. Faça caminhadas por trilhas, crie um grupo para pedalar, explore a mata próxima de casa, invista em um esporte radical;
  • Abrace a própria biologia. Lembre-se de que você faz parte da natureza e a qualidade de vida que você merece está dentro de você. Ou seja, esperando para ser libertada;
  • Desligue o celular antes de dormir e ligue apenas depois do café da manhã. Faça isso cada vez mais tarde, estendendo o horário para a primeira conexão digital;
  • Abra os braços, sinta o calor do sol na pele e procure distinguir entre os vários tipos de pássaros. Permita-se reaprender a ouvir e a ver o que está ao seu redor.

Pense bem antes de fazer suas escolhas

Toda a nossa vida é feita de escolhas – algumas pequenas e sutis, outras grandes e profundas. Mas todas, de alguma forma, impactam sua qualidade de vida. Por isso, é muito importante pensar bem antes de cada uma delas.

Busque opções que o permita viver conectado à natureza e que leve paz ao seu dia a dia, fortalecendo os laços com sua família e melhorando sua qualidade de vida.

Depois dessas dicas para melhorar sua qualidade de vida, entenda as vantagens de morar perto da natureza no interior de SP!