Para quem gosta de contato com a natureza tanto o trekking como o hiking são atividades perfeitas. No entanto, por não serem práticas tão difundidas, muitas pessoas ainda se confundem e ficam em dúvida na hora de escolher qual é a mais adequada para o seu estilo de vida. Ou seja, até mesmo fora do Brasil há aqueles que apresentam esse tipo de questionamento.

Assim, para acabar com qualquer dúvida e incentivar você a praticar essas atividades tão interessantes, a seguir, explicaremos os conceitos de trekking e hiking, além de pontuar as diferenças entre elas. Continue com a gente e confira.

Boa leitura!

O que é o trekking?

Trekking vem do verbo “Trek”, que significa caminhar.  Porém, a expressão vem do século XIX, de quando os holandeses adentravam o continente africano para colonizar as regiões. Na época, os europeus chamavam os trajetos pelas vastas áreas africanas de trekking.

O esforço aplicado pelos holandeses para superar as dificuldades naturais do território africano é a síntese do trekking. Basicamente, a atividade é uma caminhada em locais não pavimentados e com diferentes obstáculos.

Hoje, o trekking é considerado um verdadeiro mergulho na natureza. É algo mais radical, com o objetivo de superar desafios e ser recompensado com lindas paisagens e belezas pouco acessíveis.

Por ser algo que demanda maior esforço, o praticante do trekking necessita de melhor preparo físico, além de equipamentos e ferramentas pontuais, por exemplo, bússolas e barracas de acampamento.

O que é hiking?

Hiking é uma expressão inglesa e também significa “caminhar” ou “andar”. A atividade pode ser considerada uma versão mais leve do trekking, pois também sugere uma imersão à natureza. Mas, de uma forma mais branda.

No hiking, se preza mais pelo bem-estar e contato com a natureza do que realmente pelo desafio. Por isso, geralmente, a modalidade é realizada com demarcações feitas previamente, em locais mais seguros, tais como:

Outra caraterística do hiking é que ele pode ser praticado por pessoas de diferentes idades, de crianças a idosos. Também não é necessário a utilização de equipamentos complexos e nem de barracas de acampamento — o retorno no mesmo dia é algo comum do hiking.

Quais as diferenças entre trekking e hiking?

Dessa forma, como você pôde perceber, à primeira vista, o trekking e o hiking são bastante similares. Porém, quando analisado com maior cuidado, é possível notar as particularidades de cada atividade.

Para reforçar essas caraterísticas, neste tópico, detalharemos algumas das principais diferenças entre trekking e hiking.

Locais de prática

trekking_2

Como o trekking tem a ideia de “recompensa” como objetivo principal, geralmente, a atividade é realizada em locais pouco acessíveis, territórios que não são explorados facilmente pelo homem. Quanto mais difícil o acesso, mais chamativo é para os praticantes. Podemos incluir:

  • montanhas;
  • florestas;
  • matas.

Embora muitas pessoas acreditem que o trekking se resume ao montanhismo, a verdade é que a modalidade é desenvolvida em diversos terrenos. Tendo recompensas naturais ao final do percurso, é certo que os adeptos estarão dispostos a desbravar.

Como explicado, o hiking é algo mais moderado. Até por isso, a prática é realizada em locais mais acessíveis. Aqui, a “recompensa” está em todo o trajeto, pois só a ideia de estar junto à natureza já é algo gratificante para os praticantes.

Os lugares para a realização do hiking são basicamente aqueles apresentados no tópico de apresentação da modalidade. Estando perto ou em meio à natureza, então está valendo para os amantes da atividade.

Tática e planejamento

O trekking é, de fato, uma atividade que exige tática e planejamento antes de ser realizada. Por apresentar percursos mais longos e obstáculos que não são comuns no dia a dia, os praticantes devem se preparar de maneira prévia.

O planejamento se baseia no estudo sobre a região e fatores como clima, solo, fauna, flora etc. Além disso, é nesse momento que se define os locais de parada e de montagem de acampamento — se for necessário.

Na parte tática, os praticantes estabelecem qual o melhor caminho a seguir e qual o ritmo ideal a ser aplicado durante o trajeto: devagar, rápido etc.

No hiking é um pouco diferente. Embora seja também necessário o estudo prévio do local, o planejamento não é tão rebuscado. Tendo em vista que as áreas são demarcadas, os praticantes precisam apenas definir fatores como distância e quantidade de pessoas por grupo, por exemplo.

Segurança

Dentre as duas, obviamente, o hiking é a mais segura. No entanto, isso não significa que possa ser realizado de modo aleatório ou sem nenhum cuidado. Como explicado, ainda é preciso planejamento para definir os locais de passagem, além do tempo de duração do percurso.

Outro ponto é que, embora possa ser desenvolvido de maneira individual, é aconselhável que o praticante nunca caminhe sozinho por longas distâncias. Mas, o hiking não necessita tanto da participação de guias.

Com o trekking o cuidado deve ser muito maior. O primeiro ponto é que a inclusão de guias e pessoas experientes é altamente recomendável durante a prática. Além disso, o terreno deve ser estudado com muito cuidado a fim de evitar acidentes e surpresas indesejáveis.

Equipamentos

O “mochilão” do trekking sempre deve andar mais cheio que o do hiking. Como a aventura é muito mais extensa e pode oferecer perigos em alguns momentos do trajeto, o praticante não deve abrir mão de equipamentos como:

  • saco de dormir ou barracas;
  • lanterna com pilhas extras;
  • kit de primeiros socorros;
  • bússola e/ou mapa;
  • alimentos de trilha.

No hiking não se exige tanto, pois os adeptos tendem a voltar para casa no mesmo dia. Além disso, geralmente, estão mais próximos da sociedade. Todavia, além de roupas leves e calçados apropriados para trilha, eles não podem se esquecer de itens como:

  • protetor solar e óculos escuros;
  • chapéu ou boné;
  • comida e água;
  • lanterna.

Enfim, se existia alguma dúvida sobre as práticas de trekking e hiking, esperamos que esta postagem tenha ajudado a saná-la. No entanto, uma coisa é unânime: ambas as modalidades são extremamente prazerosas para quem busca uma vida mais saudável e próxima à natureza. Por isso, não vale a pena se limitar.

Por isso, foque sempre no bem-estar e na felicidade da sua família investindo em uma vida mais saudável.

Gostou do conteúdo de hoje sobre as diferenças entre trekking e hiking? Conte para a gente nos comentários abaixo! E não deixe de acessar o nosso outro artigo com o tema: Analândia, a cidade ideal para a prática de Rapel e outros esportes radicais!