Para renovar as energias e jogar para longe o estresse da vida agitada na cidade, nada como uma boa caminhada na esteira, certo? Ajuda a emagrecer, fortalece a musculatura e ainda melhora a oxigenação nas células.

Bem… Pode até ser uma possibilidade, certo? Mas, pode ser também que haja uma forma ainda melhor de ganhar qualidade de vida fazendo, basicamente, o mesmo exercício: a caminhada ao ar livre.

Hoje, não há dúvidas sobre os benefícios da natureza sobre a saúde física e mental. Então, porque não unir a paz de espírito trazida pelo verde com os benefícios do exercício físico?

Se você ainda está em dúvida, nada melhor do que conhecer bem as diferenças entre a caminhada na esteira e a caminhada ao ar livre e fazer a sua escolha!

Caminhada na esteira: saída para quem vive na selva de pedra

Para quem vive no caos urbano, a ida à academia, muitas vezes, é a única opção. Ou seja, um momento longe da rotina de casa, das preocupações do trabalho e das demandas dos filhos.

Por outro lado, tem música, pessoas reunidas em torno de um objetivo em comum, uma chance de sociabilização. E quando a esteira fica em casa essa pode ser a hora de assistir o programa favorito.

Uma vantagem da caminhada na esteira é que a maioria dos equipamentos permite que você controle batimentos cardíacos, perda de calorias, velocidade, distância e tempo.

Há ainda programas que simulam subidas e descidas, com controle do ângulo de inclinação. E tem ainda o sistema de amortecimento da máquina, que reduz o impacto nos joelhos.

Mas cuidado, porque isso não é o suficiente para afastar o risco de lesões. Para os especialistas, o uso excessivo e a repetição sem variações da caminhada na esteira podem até aumentar a incidência de lesões.

Por outro lado, como o ambiente é fechado com ar-condicionado, o clima tende a ser sempre o mesmo, sem diferenças climáticas. Não há vento, chuva ou sol. Mas, se para alguns isso é um conforto, para outros, nem tanto.

Cenário estático pode não ser vantagem

Para os estudiosos, o cenário estático da caminhada na esteira não é uma vantagem.

Mais ou menos, como na rodinha do hamster, essa falta de incentivos externos, além de seus próprios objetivos, tende a resultar na perda do foco.

É a distração no papo em excesso com o colega na esteira ao lado, a repetição excessiva de movimentos, aquela paradinha para a selfie com a galera da academia.

Por outro lado, os especialistas afirmam que na caminhada na esteira a velocidade é superestimada. Ou seja, você sempre tem a sensação de estar andando mais rápido do que realmente está.

Para os cientistas da Universidade Nacional de Cingapura isso acontece porque há uma distorção das informações visuais resultantes da discrepância entre o que foi observado e o fluxo ótico esperado.

Em outras palavras, você não vê o que o cérebro naturalmente espera em uma caminhada, o que acaba distorcendo a noção de velocidade.

Vantagens da caminhada ao ar livre

Apesar de os benefícios para a saúde física serem praticamente os mesmos, na prática, a caminhada ao ar livre é quase que o oposto da caminhada na esteira.

Até pela praticidade, já que basta um tênis adequado para começar a caminhar, no cenário que você escolher. E qualquer pessoa pode praticar, de qualquer idade e sexo. É ótima, por exemplo, para reunir a família em torno de um hábito saudável nos finais de semana.

O próprio ar livre, aliás, é outra vantagem. Todos os estímulos externos trazidos pela natureza ao seu redor tendem a melhorar sua performance e também os resultados.

As superfícies desiguais e até inesperadas fazem com que você esteja superando desafios constantemente, o que ajuda a reforçar ligamentos, melhora o senso de equilíbrio e ainda a ativar uma variedade maior de músculos do que na caminhada na esteira.

Encarar as variações de terreno, por exemplo, é mais eficiente do que a programação da máquina. Subidas, descidas, curvas e todos os obstáculos encontrados exigem mais do seu corpo, que chega a gastar 15% a mais de calorias do que na caminhada na esteira.

Perda de peso é otimizada ao ar livre

Sim, visto por esse ângulo, as caminhadas ao ar livre tendem a emagrecer mais do que a caminhada na esteira. Lembre-se que, de modo geral, a caminhada pode queimar de 200 a 400 calorias por hora, dependendo do seu condicionamento físico e do seu peso.

Para quem mora ou tem casa de veraneio em um loteamento fechado, a caminhada ao ar livre no asfalto também é mais eficiente.

Segundo os especialistas, a tendência é caminhar inclinando o corpo para a frente, o que acaba trabalhando mais as regiões da panturrilha, coxas e glúteos.

O interessante é que até a variação do vento faz diferença, já que funciona como um agente de resistência a ser vencido. Assim, potencializando a caminhada ao ar livre.

Reforço para a memória e a criatividade

Vários estudos mostram que os benefícios da caminhada ao ar livre vão bem mais além do que os proporcionados pela caminhada na esteira.

Na Universidade de Kansas (EUA), psicólogos conduzira um estudo comparativo de caminhadas em meio à natureza totalmente livres de tecnologia.

O resultado mostrou que os participantes tiveram o desempenho 50% melhor em tarefas de resolução de problemas complexos do que o grupo que não participou da caminhada ao ar livre.

Os cientistas da universidade, aliás, vão ainda mais longe: segundo eles, caminhadas frequentes e em ritmo acelerado podem reduzir o ritmo de perda da memória em pacientes em estágios iniciais de Alzheimer.

Já na Holanda, pesquisadores da Universidade Maastricht descobriram que caminhar ao ar livre aumenta o volume do hipocampo. Essa parte do cérebro é associada à memória espacial e episódica nas mulheres, principalmente, depois dos 70 anos.

Para eles, isso significa que a caminhada ao ar livre melhora e previne a perda de memória, além de aumentar a autoestima e reduzir o estresse e a ansiedade. Especialmente no público feminino, que passa a contar com um potente aliado contra os efeitos da passagem do tempo na memória.

Mais bem-estar e sensação de paz e tranquilidade

Quanto mais natureza, melhor a caminhada ao ar livre. E isso não é só uma questão de opinião dos adeptos da modalidade.

Estudiosos da Universidade de Exeter (Reino Unido) também chegaram a essa conclusão, depois de analisar uma grande variedade e quantidade de pesquisas ao redor do mundo.

O resultado foi que na caminhada ao ar livre, especialmente, em locais de natureza exuberante, os sentimentos de envolvimento positivo, revitalização e aumento de energia são potencializados. Além disso, ao mesmo tempo, em que são reduzidos os de raiva, depressão, estresse e tristeza.

Por fim, ao contrário da caminhada na esteira, na caminhada ao ar livre há exposição aos raios solares, essencial para a produção da Vitamina D.

A falta dessa vitamina pode causar aumento de peso, enfraquecimento do sistema imunológico, problemas de pressão arterial e perda de força muscular.

Para quem passa a semana toda na cidade, mas tem casa de veraneio em meio à natureza, a combinação da caminhada na esteira com a caminhada ao ar livre pode ser a receita perfeita para investir na sua qualidade de vida e longevidade.

Agora que você já conhece as vantagens da caminhada ao ar livre, descubra os cuidados que você deve ter para aproveitar ao máximo os exercícios!