Quem ama viver em paz na natureza sabe que não importa se o jardim do vizinho é o mais verde. A questão é cuidar, porque as plantas sempre retribuem todo o carinho e dedicação com cores, texturas e perfumes de encher a alma.

No entanto, por não estar lá todos os dias, para quem tem casa de veraneio essa tarefa pode ficar um pouco mais difícil, principalmente, em algumas épocas críticas do ano. No Sudeste, principalmente, verão e inverno costumam ser bem marcados, por isso o frio e o sol intenso podem fazer estragos no jardim de doer o coração.

Por outro lado, por mais que seja um privilégio ter uma casa em meio ao verde, não é todo mundo que tem familiaridade com as plantas. Por isso, algumas dicas sempre são bem-vindas, principalmente, quando o assunto é manter o jardim bonito o ano inteiro e aproveitar ao máximo os benefícios da vida ao ar livre.

Adapte o jardim às características do terreno

É muito importante respeitar as características do terreno na hora de fazer o jardim dos sonhos. Além do nível de exposição ao sol e à sombra, é importante também considerar as dimensões do espaço.

Além da sensação de lugar entulhado, algumas espécies são predadoras e podem eliminar a “concorrência”. Com isso todo seu planejamento vai por água abaixo.

Estude as espécies que vai colocar e a distância certa entre elas, de forma que cresçam e se desenvolvam da forma adequada.

Na hora que for comprar as mudas, peça para agrupar as espécies que se ajudam entre si. Malmequeres, por exemplo, são protegidos pelos tomateiros, que os defendem das pragas.

Aposte em um sistema de irrigação automático

A adubação na época certa é muito importante, mas a rega é essencial para a saúde das plantas. A maioria das flores, por exemplo, pode florir no jardim praticamente o ano inteiro, desde que seja regada corretamente.

Para quem tem casa de veraneio a dica é apostar em um sistema de irrigação automático, principalmente, para grandes terrenos. O horário ideal é de manhãzinha ou no final da tarde, com o sol bem fraquinho, para não queimar as raízes.

No inverno ou na época de chuvas o sistema pode ser alterado ou mesmo desligado completamente, já que o clima provém a irrigação natural.

Aposte em espécies nativas

Quando a natureza do entorno é exuberante, não há porquê utilizar plantas exóticas para compor o jardim. As espécies nativas são mais resistentes e se adaptam melhor por já estarem praticamente em seu próprio habitat.

Outra dica é criar um jardim com plantas nativas bem variadas, que representem a natureza ao redor em seus mais variados estágios.

Você vai encontrar espécies que gostam mais de sombra, outras mais de sol, algumas que vão requerer rega mais constante do que outras. Procure também colocar exemplares que tenham ciclos diferentes de floração.

Assim você consegue fazer um paisagismo variado e terá um jardim bonito nas quatro estações do ano.

Cuidado na hora de escolher a grama

Uma casa de veraneio com um verdadeiro tapete de grama parece capa de revista. No entanto, também é preciso atenção na hora da escolha.

Há vários tipos de grama, por isso é preciso analisar o terreno para colocar a espécie que mais se adequa às suas características.

As do tipo Esmeralda (e as Zoysia em geral), por exemplo, é bastante utilizada em residências. Bem rústicas, têm as folhas fininhas e fazem um tapete bonito, com média resistência ao pisoteio.

No entanto, é mais difícil de cuidar do que a Batatais (Paspalum notatum), que é mais resistente ao pisoteio e à sombra, mas precisa de corte semanal para ficar bem baixinha.

Um detalhe é importante: de um modo geral, as gramas verdes gostam de jardim com sol, embora algumas, como a Batatais sejam mais resistentes à sombra.

Já as Bermudas são bastante utilizadas em campos esportivos, porque são altamente resistentes à tração e ao pisoteio, mas precisam de sol pleno.

As do tipo São Carlos, no entanto, aguentam bem a meia sobra, precisando da plena luz do sol em pelo menos 40% do dia.

Cuidado com o local do plantio

Quando estão na natureza as plantas se espalham de acordo com sua afinidade com determinado terreno. Mas quando são levadas para o jardim de casa, nem sempre é tomado cuidado com suas características.

O resultado geralmente são plantas queimadas, murchas – ou até muros ou pisos deformados.

Por isso, é preciso se informar com seu fornecedor de plantas sobre o lugar mais adequado para cada espécie. Algumas, como o fícus, quando plantado no solo tem raízes profundas e invasivas, que podem até estourar tubulações.

Uma dor de cabeça que pode ser evitada se for colocado em um vaso de concreto armado, que limita o crescimento das raízes sem quebrar.

Já plantas com espinhos e pontiagudas não devem ficar próximas às áreas de circulação, como a iuca, cica e dasilirium. A menos que consiga controlar seu crescimento com poda constante, como é o caso da murta, tumbérgia-arbustiva, nadina e podocarpo.

Cada espécie tem sua época certa de poda

As plantas do jardim precisam ser podadas no período certo. Ou seja, cada espécie tem seu próprio cronograma. Algumas são antes da floração, outras no verão, por exemplo.

Portanto não esqueça de anotar os meses em que cada espécie deve ser adubada e podada para ficar bonita o ano inteiro. Não esqueça que as plantas são seres vivos que precisam de cuidados regulares. Esse é um pequeno trabalho que vale a pena.

Declare guerra às pragas

Elas amam a primavera, mas podem aparecer a qualquer momento e estragar a beleza do seu jardim. As pragas devem ser combatidas aos primeiros sinais, porque muitas são realmente difíceis de controlar.

Não é difícil perceber quando elas começam a atacar. Geralmente as folhas, que são as partes mais sensíveis da planta, ficam murchas, enrugadas ou cheias de furinhos e/ou pintinhas.

Se houver formigas subindo, provavelmente pulgões ou colchonilha estão atacando seu jardim. Espuma de sabão de coco costuma funcionar bem nesse caso. Espalhe sobre as folhas e deixe por duas horas, depois remova com cuidado.

Na dúvida recolha algumas pragas e leve ao seu floricultor. Receitas caseiras costumam dar bons resultados, mas há também soluções comerciais bem eficientes.

Jardim no inverno requer cuidados especiais

No verão o sol forte pode ser remediado com a irrigação automática, mas as baixas temperaturas do inverno podem ser mais complicadas. A maioria das espécies reduz a velocidade de crescimento para economizar energia, muitas até entram em um estado de hibernação.

Uma boa dica é renovar o jardim no outono, plantando espécies que gostam mais do frio. A azaleia, por exemplo, é uma boa opção porque floresce no inverno, assim como a tulipa que gosta de umidade.

Ter um jardim bonito durante as quatro estações do ano faz parte da qualidade de vida. É cuidando da natureza que nos curamos das tensões do dia a dia, fazendo da casa de veraneio um verdadeiro oásis de paz e reposição de energias.

Aproveite e confira mais 22 dicas de decoração essenciais para a sua casa de veraneio e crie o paraíso perfeito para seus dias de lazer!