Para a maior parte das pessoas, ter um dia tranquilo em contato com a natureza é sinônimo de férias. Contudo, o convívio com áreas naturais não deveria acontecer somente nesse período. É possível obter benefícios para a saúde física e mental em regiões arborizadas e naturais. Por isso, o contato com a natureza é tão necessário, principalmente, na vida daqueles que vivem uma rotina intensa nos centros urbanos.

Para manter essa conexão, morar próximo às áreas florestais que possam trazer a conexão com os elementos naturais é um grande investimento na sua saúde e de sua família. Você vai entender o porquê acompanhando nosso post de hoje. Confira!

Quais os benefícios do contato com a natureza?

O contato com a natureza oferece diversos benefícios. A exposição ao sol é uma excelente forma de ativar a vitamina D, responsável pelo fortalecimento de ossos e dentes. Mesmo presente em grupos alimentares, a luz solar é um importante ativador da substância no corpo.

Quando ativada, a vitamina D melhora a absorção de cálcio, reduzindo riscos para o desenvolvimento de doenças cardíacas, vasculares, crônicas e melhorando a circulação e o humor. Contudo, a exposição ao sol deve ser em horários certos, sempre usando proteção, como filtro solar.

Oxigenação e bem-estar

É comum conviver em ambientes fechados ou ter exposição à poluição, principalmente, para moradores de grandes cidades. Para suprir suas necessidades de oxigenação em ambientes como esses, o corpo precisa trabalhar intensamente, ação que aumenta batimentos cardíacos e pressão arterial.

Respirar ar fresco em contato com a natureza ajuda a regular esse esforço, nutrindo o organismo com oxigênio e promovendo a sensação de bem-estar. Isso também ocorre devido à regulação dos níveis de serotonina pelo ar fresco, que resulta em felicidade e relaxamento.

A serotonina é o neurotransmissor que afeta humor, memória e comportamento social. Quando seus níveis estão baixos, o indivíduo se torna deprimido. O ar em ambientes naturais, como em cachoeiras e florestas, também aumenta a amplitude das ondas cerebrais, criando efeito tranquilizante.

Contato com a terra

Ao pensar em natureza, não devemos focar somente no ar. A terra é também uma fonte de energia cientificamente comprovada. O contato com a natureza mexendo na terra e andando descalço também é uma forma de liberar a serotonina.

Saúde mental

Com o avanço da tecnologia e o aumento de informações, a dificuldade de concentração se tornou algo comum entre as pessoas. Um estudo realizado em Wisconsin mostrou que é preciso desconectar para se conectar. Passar tempo em contato com a natureza, sem interferências tecnológicas, pode ajudar a aliviar o estresse e melhorar a memória e o foco na realização de tarefas.

Estímulo para crianças, adultos e idosos

Para as crianças, o contato com a natureza é uma forma de estimular a imaginação e criatividade, além de proporcionar a sensação de liberdade. Assim, permitindo brincadeiras que explorem o ambiente natural.

Para crianças e adultos com Distúrbio de Déficit de Atenção, por exemplo, ambientes abertos em contato com a natureza proporcionam bem-estar, diminuindo a pressão existente em grandes centros.

Para idosos e pessoas com Alzheimer, demência ou depressão, o contato com plantas, cores, cheiros e texturas diferentes são formas positivas de proporcionar distração e qualidade de vida, além de gerar os benefícios acima.

No entanto, para obter esses diversos benefícios para sua saúde física, mental, e também de sua família, qual o tempo necessário de exposição à natureza? Um estudo da Inglaterra pôde descobrir o tempo exato para a ativação destes benefícios. Continue na leitura deste artigo para entender melhor:

Quanto tempo em contato com a natureza é necessário para melhorar a saúde?

Uma pesquisa realizada pela Universidade inglesa de Exeter, descobriu que passar pelo menos 120 minutos, por semana, em contato com a natureza é o mínimo suficiente para melhorar a saúde física e proporcionar bem-estar psicológico.

Usando quase 20 mil pessoas, foi possível observar que duas horas de exposição a ambientes naturais, feitas em uma única visita ou em várias outras curtas, beneficiou homens, mulheres, crianças e idosos em diferentes grupos étnicos. Logo, melhorando até mesmo a vida de pessoas com doenças prolongadas ou incapacidades.

O contato com a maior parte do grupo estudado foi por ambientes próximos às suas residências ou casas de veraneio, por exemplo, em que os proprietários passavam os finais de semana em contato com a natureza.

De acordo com o coautor da pesquisa, Terry Harting, as descobertas ofereceram um valioso apoio para que profissionais de saúde pudessem recomendar o tempo junto à natureza para promoção de saúde e bem-estar, comparando as diretrizes para atividades físicas diárias.

Atualmente, é possível estar em contato com a natureza até mesmo vivendo em grandes centros, como a cidade de São Paulo. Cidades do interior próximo à metrópole oferecem vantagens como a proximidade às áreas arborizadas, a possibilidade da prática de esportes radicais e outras experiências essenciais para prolongar e melhorar a qualidade de vida de toda a família.

Gostou destas informações? Então, conheça também os benefícios que andar a cavalo pode trazer em sua vida!